Compreensão lenta.

“O amor é cego, e os namorados nunca vêem as tolices que praticam.”
(William Shakespeare)

A Rita, mais conhecida por Rita Marciana, estava a conversar com o Zé Bodes, e já estavam os dois bastante bêbados, ás tantas diz a Rita:
– Ò Zé, lembras-te daquela noite em que ficamos muito abraçados, demos as mãos e passamos horas a fio a olhar par o luar reflectido no mar?
– Hum…hum… aquela em que finalmente, depois de anos a esforçar-me, consegui saltar-te para a espinha?
– Exactamente, essa mesmo…
– Lembro, isso já foi para aí há uns dez anos. Depois nunca mais curtimos…
– Pois não. Agora percebo porquê…
Boas ondas.

 

image

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s